|

4.° Festival da Cerâmica de Cunha começa em outubro; os visitantes poderão participar de abertura de fornos, workshop e queima de Raku



De 01 a 15 de outubro, será realizado, em Cunha (SP), o 4.° Festival da Cerâmica de Cunha. O evento conta com a participação de 19 ceramistas da cidade para ilustrar a variedade de técnicas e de estéticas utilizadas na fabricação da cerâmica cunhense. Durante o festival, os participantes poderão apreciar a exposição, no Espaço Cultural Lavapés, ou comprar as peças, que variam de R$ 60 a R$ 5.000. Além disso, os ateliês oferecerão atrações como abertura de fornos noborigama, queima de cerâmica Raku e vários workshops sobre a produção de cerâmica artística.

Um dos destaques desta edição do Festival da Cerâmica de Cunha é a presença do conhecido ceramista francês René Le Denmat, presidente da Associaction Le Printemps Des Potiers. René realizará, no Espaço Cultural Lavapés, workshop sobre a modelagem de cerâmica com torno elétrico e também intervenções criativas para produção de peças diferenciadas. Por fim, o artista francês fará uma palestra sobre o disputado esmalte Celadon, originário na China e ainda difícil de encontrar.

Durante o festival, também serão realizados eventos como o “Tour Didático”, no qual os participantes poderão fazer visitas acompanhadas nos ateliês da cidade, conhecer as matérias primas e os diversos processos de produção da cerâmica artística. Outra opção é o “Brincando com Arte”, que oferece uma vivência de suas horas com modelagem de argila, pintura e desenho com engobes, uma mistura de argila, óxidos e outros componentes para esmaltar as peças.

Saiba mais sobre a cerâmica de Cunha

Cunha é um dos mais importantes centros produtores de cerâmica artística da América Latina. A cidade abriga 18 ateliês que se distinguem pela variedade de técnicas e estéticas. E mais, é a única cidade na América Latina a abrigar cinco fornos noborigama em funcionamento.

A Queima da cerâmica pode ser feita em fornos a lenha, a gás ou elétrico. Mas o noborigama, por ser uma tradição milenar japonesa, originária da China há mais de 5 mil anos, é o que atrai a atenção dos visitantes. Construído em terreno inclinado, normalmente com 4 câmara internas e uma fornalha, o noborigama funde rochas e vitrifica a cerâmica a 1400°C. Para atingir essa temperatura e finalizar o processo de produção da cerâmica é necessário que as peças permaneçam queimando por 28 horas. Cada uma das câmaras do forno noborigama suporta aproximadamente 300 peças de cerâmicas. Em geral, 4 câmaras são abertas por fornada, produzindo cerca 1200 peças por eventos.

Para mais informações sobre a 4.° Festival da Cerâmica de Cunha, acesse www.cunha.sp.gov.br

Fonte: Cidade de Cunha










The Manhattan Reporter

Arquivo

Labels / marcadores

◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share

Publicidade






Eventos


Accelerate Brazil




InfraBrasil 2013




Recently Added

Recently Commented