|

Especial: Cinzas dão trégua no ar e voos retomam normalidade no Sul do Brasil

Depois de dois dias de cancelamentos de voos em função da nuvem provocada por vulcão chileno, aeroportos do Sul do país voltam a operar. Confins teve sete partidas suspensas .

Geórgea Choucair .

Imagem

Depois de dois dias de transtornos nos aeroportos, em função da nuvem vulcânica vinda do Chile para a Rregião Sul do Brasil, a situação começou a se normalizar no fim da tarde dessa sexta-feira. As companhias aéreas voltaram a operar voos para os destinos mais atingidos pela nuvem, como Porto Alegre (RS), Florianópolis (SC) e Buenos Aires (Argentina). No Aeroporto Internacional Tancredo Neves, em Confins, o movimento foi intenso no início da noite, principalmente nos balcões da Azul e Webjet, que tinham voos previstos para Porto Alegre. Muitos passageiros embarcaram depois de um dia de espera pela viagem. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), a nuvem do deve se deslocar para o Oceano Atlântico.

Do total de 2.152 voos programados até às 19h dessa sexta-feira, 319 (14,8%) foram cancelados no país, segundo a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero). O maior índice de cancelamento foi registrado em Porto Alegre. Do total de 86 voos programados até às 19h, 71 (82,6%) foram cancelados. No aeroporto de Confins, do total de 103 voos programados até o horário, sete (6,8%) foram cancelados e 30 (29,1%) saíram atrasados.

Das companhias aéreas que fazem voos para Porto Alegre (RS), a única que conseguiu operar durante o dia dessa sexta-feira foi a Trip Linhas Aéreas, já que o transporte é feito com o ATR, que voa em altitude abaixo de 20 mil pés. A fumaça do vulcão, segundo a empresa aérea, atingiu a área acima de 20 mil pés, geralmente usada por aviões de maior porte.

A Azul Linhas Aéreas e a Webjet voltaram a operar normalmente com os voos desde as 18h dessa sexta-feira. A TAM também retomou no início da tarde os voos para Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC) e no fim da noite para Buenos Aires. A empresa manteve cancelados os voos para o Chile e o Uruguai. A Gol também restabeleceu as operações para os aeroportos da Argentina e do Uruguai no início da noite. Ao longo do dia, a empresa já havia confirmado decolagens para as cidades brasileiras de Chapecó, Florianópolis, Navegantes e Joinville, em Santa Catarina, e Caxias do Sul e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul.

O professor de artes marciais chinesa Clodoaldo Silva Castro e seus quatro alunos tiveram que esperar um dia para embarcar para um seminário em Porto Alegre. Eles vierem de Juiz de Fora para pegar um voo na quinta-feira, às 17h50, pela Webjet. Só conseguiram embarcar nessa sexta-feira, no mesmo horário. Para esperar o novo voo, o grupo ficou hospedado na casa da avó de um dos alunos de Castro. “A sorte que o seminário começa hoje (sexta-feira), aí não perdemos muita coisa”, afirma o professor. A companhia aérea, segundo ele, ofereceu transporte e hospedagem.

O instrutor de condução José Ricardo Monks Neves também teve que adiar a volta da viagem a Porto Alegre. Ele estava em Belo Horizonte a trabalho e o seu voo estava marcado para às 6h47 da manhã dessa sexta-feira. Ele só conseguiu embarcar, no entanto, às 18h. “Perdi o dia de trabalho, mas pelo menos vou conseguir voltar para dar a aula do sábado”, diz.

Fonte: / NOTIMP

---

Empresas aéreas começam a retomar voos cancelados

Com a diminuição da nuvem de cinzas do vulcão chileno Puyehue, que se desloca para o oceano, as empresas aéreas Gol, TAM e LAN retomaram hoje (10) os voos que haviam sido cancelados para Buenos Aires. Os destinos para Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC), também foram liberados, porém, as empresas continuam avaliando as condições de voos para essas rotas e, caso haja riscos, poderão ser outra vez cancelados.

A Força Aérea Brasileira informou que a nuvem de cinza vulcânica ainda permanece no estado do Rio Grande do Sul, cobrindo a região que vai da cidade de Santa Maria até Porto Alegre. A previsão é de que ela esteja totalmente sobre o mar depois das 23h, de acordo o último boletim emitido pelo Volcanic Ash Advisory Centres da Argentina.

Os voos da TAM para Montevidéu (Uruguai) continuam suspensos e sem previsão de serem retomados. A Gol informa, em seu site, que restabeleceu suas operações nos aeroportos Ministro Pistarini e Aeroparque Jorge Newbery, em Buenos Aires (Argentina), e em Montevidéu (Uruguai). Mas a reportagem da Agência Brasil, em contato com o Serviço de Atendimento ao Cliente da Gol, foi informada que os voos para esses destinos ainda estão sem previsão de quando voltam a operar.

Fonte: / NOTIMP

---

Companhias anunciam retomada de voos em Buenos Aires

As companhias aéreas TAM, LAN, Gol e Aerolíneas Argentinas anunciaram na noite desta sexta-feira a retomada de voos entre o Brasil e Buenos Aires, na Argentina.

Desde a ontem (9), diversas chegadas e partidas entre a capital argentina e aeroportos brasileiros foram canceladas pelo avanço da nuvem de cinzas do vulcão chileno Puyehue. As cinzas também afetaram voos domésticos no Brasil.

Com a dispersão do fenômeno, as companhias retomam os voos gradualmente desde o fim da tarde. A Aeronáutica informou que a nuvem de cinzas deve estar totalmente sobre o mar até o fim da noite.

As informações foram repassadas pelo pelo Volcanic Ash Advisory Centre da Argentina ao Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea. O relatório também aponta que a emissão de cinzas pelo vulcão perdeu força.

A TAM afirmou ter voltado a operar em Buenos Aires às 18h, mas que monitora as condições de voo das rotas aéreas e poderá suspender as operações novamente caso haja riscos. Continuam suspensos os voos de e para Montevidéu (Uruguai), ainda sem previsão de restabelecimento, por medida de segurança.

A Gol informou também informou ter restabelecido os voos nos dois aeroportos de Buenos Aires --Ezeiza e Aeroparque-- e em Montevidéu. A empresa afirma estar acompanhando em tempo real o movimento da nuvem de cinzas e que, pelos últimos prognósticos, encontrou condições de realizar os voos com segurança.

A LAN já havia retomado os voos mais cedo e afirmou que, a partir de sábado (11), todas as suas operações já estarão normalizadas no Cone Sul.

A Aerolíneas Argentinas também retoma os voos em Buenos Aires desde as 18h, mas informou que os voos de e para Bariloche e Chapelco permanecem suspensos até pelo menos quarta-feira (15).

Fonte: / NOTIMP

---

Nuvem vulcânica deve sair do Brasil ainda hoje

MARCELA GONSALVES

A nuvem de cinza do vulcão chileno deve estar totalmente sobre o mar no início da noite de hoje. A previsão consta no mais recente boletim emitido pelo Volcanic Ash Advisory Centres da Argentina, instituto responsável pelo monitoramento da situação no Cone Sul.

De acordo com Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA), que tem coordenado o tráfego aéreo nas áreas atingidas, o relatório também aponta que a emissão de cinzas pelo vulcão perdeu força. O CGNA é uma organização militar pertencente ao Comando da Aeronáutica e subordinada ao Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA).

Fonte: / NOTIMP

---

Nuvem de cinza do vulcão chileno se dirige à Nova Zelândia

A nuvem de cinza lançada após a erupção do vulcão chileno Puyehue-Cordón Caulle deve chegar neste sábado à Nova Zelândia, podendo afetar o tráfego aéreo do país com ocorreu na Austrália e na América do Sul.

O porta-voz da Autoridade de Aviação Civil da Nova Zelândia, Bill Sommer, afirmou que os aviões terão de variar sua altitude de voo para evitar as cinzas, em caso de a nuvem alcançar a Ilha Sul, informou "Radio New Zealand".

Sommer explicou que está previsto que a cinza se situe entre 20 mil e 30 mil pés de altura, o nível de voo da maioria das aeronaves da aviação civil, e afete durante vários dias o tráfego aéreo na Ilha Sul, assim como da cidade de Christchurch.

Apesar da presença das nuvens de cinzas na região, a Autoridade de Aviação Civil não espera que ocorram atrasos ou cancelamentos.

O complexo vulcânico Puyehue-Cordón Caulle, que fica no sul do Chile e a 9 mil quilômetros da Nova Zelândia, entrou em erupção há uma semana.

A nuvem de cinza contaminou vários rios e lagos do país andino e afetou à comunicação aérea na Argentina, Uruguai e Brasil.

Fonte: / NOTIMP

---

Voos começam a ser retomados no país após caos por vulcão

As companhias aéreas começaram a retomar no início da noite de sexta-feira os voos para o Sul do país e para parte da América do Sul, já que a nuvem de cinzas expelida pelo vulcão chileno Puyehue estava se dissipando.

Segundo boletim do Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA) da Força Aérea Brasileira, a nuvem se deslocava a uma velocidade média de 80 quilômetros por hora e "deve estar totalmente sobre o mar depois de 23h".

A Gol disse ter retomado pousos e decolagens em Chapecó, Florianópolis, Navegantes e Joinville, em Santa Catarina, e Caxias do Sul e Porto Alegre, no Rio Grande do Sul, assim como para Montevidéu (Uruguai) e os aeroportos Ezeiza e Aeroparque, em Buenos Aires (Argentina).

A companhia disse que "tem acompanhado em tempo real o movimento da nuvem de cinzas expelidas pelo vulcão chileno Puyehue e que, pelos últimos prognósticos, encontrou condições de realizar os voos para esses destinos com segurança".

A TAM, por sua vez, informou que voltou a operar para Porto Alegre (RS) e Florianópolis (SC) e para Buenos Aires, mas que continuavam suspensos seus voos de e para Montevidéu, sem previsão de restabelecimento da rota.

"Essas medidas são necessárias para garantir a segurança de clientes e tripulantes", afirmou a TAM em nota. "A empresa está avaliando constantemente as condições de voo nestas rotas e, caso haja riscos, poderá voltar a suspender a operação."

Azul e Webjet também confirmaram a retomada dos voos a partir das 18h para o aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

Em todo o país, 375 das 2.314 partidas programadas até 19h para destinos dentro e fora do Brasil foram canceladas, de acordo com informações da Infraero, a estatal que gerencia os aeroportos do país.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) emitiu nota recomendando aos usuários que tiverem de viajar para a região Sul, assim como Chile, Argentina, Paraguai e Uruguai, para que consultassem as companhias aéreas antes de irem aos aeroportos.

O vulcão Puyehue, adormecido há décadas, entrou em erupção no centro-sul do Chile na semana passada, o que provocou uma nuvem de cinzas sobre os Andes que tem atrapalhado o tráfego aéreo na América do Sul há dias.

Não é a primeira vez que cinzas vulcânicas provocam caos no espaço aéreo e impedem milhares de pessoas de viajar.

Em maio, a nova erupção do Grimsvotn, o vulcão mais ativo da Islândia, lançou uma enorme coluna de fumaça e cinzas, prejudicando algumas operações em parte da Europa.

O impacto, porém, foi menor do que outro vulcão mais ao sul da Islândia que entrou em erupção no ano passado e que fechou o espaço aéreo europeu por seis dias devido ao medo de que as partículas vulcânicas entrassem nos motores e causassem acidentes.

Na sexta-feira, a ação da TAM recuou 2,78 por cento, a 32,16 reais, enquanto o papel da Gol registrou queda de 1,26 por cento, a 18,85 reais. O Ibovespa, que reúne as principais ações brasileiras, caiu 1,22 por cento.

Fonte: / NOTIMP









The Manhattan Reporter

Arquivo

Labels / marcadores

◄ Compartilhe esta notícia!

Bookmark and Share

Publicidade






Eventos


Accelerate Brazil




InfraBrasil 2013




Recently Added

Recently Commented